Follow by Email

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Eu...




"À extremidade de mim estou eu. Eu, implorante, eu a que necessita, a que pede, a que chora, a que se lamenta. Mas a que canta. A que diz palavras. Palavras ao vento? Que importa, os ventos as trazem de novo e eu as possuo."  
Clarice Lispector     

Um comentário:

neo-orkuteiro disse...

Clarice em um momento de profunda introspecção. Muito bem escolhida essa passagem dela.

A pose parece ter que ver com o texto. Será? Também, ter um texto da clarice Lispector como legenda é um luxo só!