Follow by Email

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Parabéns minha filha linda.

Como vc cresceu.
Fico emocionada quando olho pra vc, o tempo voou.
Minha menina grande que me enche de orgulho e preocupação. Vc reclama e diz que brigo o tempo inteiro, esses desentendimentos não duram muito e procuro te mostrar que nem sempre as coisas saem como planejamos e queremos, que a decepção às vezes é inevitável.
Tento então a meu modo te ensinar a encarar e lidar com isso de uma forma mais amena, mas isso vc só entenderá quando for mãe também...
Somos parecidas, vc é chorona, mimada, geniosa e rude, mas quando quer sabe ser meiga, carinhosa, amável e emotiva.
Muito inteligente, porém preguiçosa (vamos acabar já com isso!!!).
Lembro de vc pequena, de cada momento que passamos e hoje te desejo muita felicidade pela frente e que continuemos lutando, crescendo e tentando encontrar nosso caminho e felicidade, juntas, sempre.
Feliz aniversário.

Amo vc.

Mamãe.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Resposta: "Conflitos".


Ela implorou por um beijo.

Sabia que um só beijo e tudo estaria bem, que outro beijo viria, mais um, outro e tudo mais.

Sim, ela implorou chorando que lhe desse um beijo e só.
Mas ele disse que não.


Firme e frio, disse que não. Ele sabia, sem dúvida, que se cedesse ao pedido tudo estaria bem e que outro beijo viria e ele, decididamente, não queria. 
Foi por isso que ficou daquele modo, firme, frio. Ela implorava, olhos inchados, vermelhos, estava dessa maneira quando saíram à rua e ele fingia que nada, nada havia acontecido. 
Mas como ele conseguia ser assim, intransponível?
Diante dela, parecia que se convertera em pedra, pedra inteiramente não, muro inteiramente muro.
Que fazemos quando alguém que amamos se faz assim diante de nosso desejo, frente a nosso desespero?

Hoje os olhos estão secos.
Ela lembra. E ela entende que tudo foi bem pior: porque a pedra não era ele, porque a pedra era ela mesma, apesar de toda lágrima.
Sim, ela era a pedra dele, em que ele a transformara.