Follow by Email

terça-feira, 30 de junho de 2009

Se...



Se eu pudesse deixar algum presente a você,
deixaria acesso ao sentimento de amar a vida dos seres humanos.


A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora...
Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.
A capacidade de escolher novos rumos.
Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável:
Além do pão, o trabalho.


Além do trabalho, a ação.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo
a resposta e a força para encontrar a saída."



Mahatma Gandhi

A gente se transforma todos os dias, desde qndo estamos dormindo, nos sonhos, qndo acordamos e qndo vamos dormir novamente. A vida começa todos os dias e sempre temos uma nova chance de recomeçar.

Victor Matheus.




O Ofício de Viver.


É tão verdade que o reconforto supremo - a religião - consiste em encontrar uma companhia que nunca falhe - Deus. A oração é um desabafo, como com um amigo. A obra equivale à oração, porque nos põe em contato com os que dela tirarão proveito. O problema da vida é, portanto, o seguinte: como romper a nossa solidão, como comunicar-nos com os outros. Assim se explica a existência do matrimônio, da paternidade, das amizades. Mas que a felicidade resida nisto, balelas! Porque se deva estar melhor comunicando com os outros do que só, é estranho. É talvez apenas uma ilusão: a maior parte do tempo, estamos muitíssimo bem sós. É agradável ter, de tempos a tempos, um odre em que nos possamos despejar e, em seguida, bebermo-nos a nós próprios: dado que pedimos aos outros apenas aquilo que já temos em nós. É um mistério o motivo por que não basta perscrutar e beber em nós próprios e seja preciso reavermo-nos por intermédio dos outros. (O sexo é um incidente: o que recebemos é momentâneo e casual; pretendemos algo de mais secreto e misterioso de que o sexo é apenas um sinal, um símbolo).


UMA CASA, UMA VIDA, UM GRANDE AMOR...

...e todos eles cheirando a flores.

"E o quarto, e o banheiro,a cozinha, cheirando a flores
Os tapetes, os espelhos, as cortinas, cheirando a flores

Essa casa é perfumada pelas lembranças dos amores
E nos trincos, prendedores, até nas chaves sinto

Nas escadas, corredores, almofadas, cheirando a flores
Na sacada, na cadeira, na chaleira, cheiro de flores
Essa casa é perfumada pelas lembranças dos amores
nos cinzeiros, nas tomadas e nas telhas de zinco
Na sala de jantar, nas garrafas do bar, nas persianas e nos pés das mesas
Liquidificador, embaixo do cobertor, pelos cantos, no chão

Pelas plantas e até mesmo no vão entre a cama e a parede
E na televisão e nas janelas, e no marco da porta, onde quer que se passe

Essa casa cheirando a flores"



é o meu desejo pra vc amiga linda.




(Música: Nessa Casa - Tom Bloch)


terça-feira, 23 de junho de 2009

Um breve estudo sobre a psicopatia.


Quando pensamos em psicopatia, logo nos vem à mente um sujeito com cara de mau, truculento, de aparência descuidada, pinta de assassino e desvios comportamentais tão óbvios que poderíamos reconhecê-lo sem pestanejar. Isso é um grande equívoco! Para os desavisados, reconhecê-los não é uma tarefa tão fácil quanto se imagina. Os psicopatas enganam e representam muitíssimo bem.
"Mentes Perigosas" discorre sobre pessoas frias, manipuladoras, transgressoras de regras sociais, sem consciência e desprovidas de sentimento de compaixão ou culpa. Esses "predadores sociais" com aparência humana estão por aí, misturados conosco, incógnitos, infiltrados em todos os setores sociais. São homens, mulheres, de qualquer raça, credo ou nível social. Trabalham, estudam, fazem carreiras, se casam, têm filhos, mas definitivamente não são como a maioria da população: aquelas a quem chamaríamos de "pessoas do bem".
Eles podem arruinar empresas e famílias, provocar intrigas, destruir sonhos, mas não matam. E, exatamente por isso, permanecem por muito tempo ou até uma vida inteira sem serem descobertos ou diagnosticados. Por serem charmosos, eloqüentes, "inteligentes" e sedutores costumam não levantar a menor suspeita de quem realmente são. Visam apenas o benefício próprio, almejam o poder e o status, engordam ilícitamente suas contas bancárias, são mentirosos contumazes, parasitas, chefes tiranos, pedófilos, líderes natos da maldade.
Em casos extremos, os psicopatas matam a sangue-frio, com requintes de crueldade, sem medo e sem arrependimento. Porém, o que a sociedade desconhece é que os psicopatas, em sua grande maioria, não são assassinos e vivem como se fossem pessoas comuns.
Trechos de “O psicopata — Um camaleão na sociedade atual”
(ed. Paulinas, 2005), do espanhol Vicente Garrido, tradução
de Juliana Teixeira:

“Os indivíduos com traços psicopáticos são pessoas que agem somente em benefício próprio, não importando os meios utilizados para alcançar o seu objetivo. Além disso, são desprovidos do sentimento de culpa e dificilmente estabelecem laços afetivos com alguma pessoa — quando o fazem, é simplesmente por puro interesse.” (do prefácio da psicóloga Ivone Rodrigues Lisboa Patrão) “Os psicopatas geralmente falam muito, expressam-se com encanto, têm respostas espertas e contam histórias — muito improváveis, mas convincentes — que lhes deixam em uma boa situação perante as pessoas. Não obstante, o observador atento vê que eles são muito superficiais e nada sinceros, como se estivessem lendo mecanicamente um texto. Falam de coisas atrativas para as quais não têm preparo, como poesia, literatura, sociologia ou filosofia. Não lhes importa ficar evidente que suas histórias são falsas, algo que nem sempre é fácil acontecer, considerando o desembaraço e a imaginação com que empreendem os seus relatos.” (pág. 37) “O psicopata tem uma auto-estima muito elevada, um grande narcisismo, um egocentrismo fora do comum e uma sensação onipresente de que tudo lhe é permitido. Ou seja, sente-se o ‘centro do universo’ e se crê um ser superior regido por suas próprias normas. É compreensível que, com tal percepção de si mesmo, pareça diante do observador como altamente arrogante, dominante e muito seguro de tudo o que diz. Fica evidente que ele procura controlar os outros e parece incapaz de compreender que haja pessoas com opiniões diferentes das suas.

Mergulhado nesse mundo de superioridade, raramente o psicopata se preocupa com problemas financeiros, legais ou pessoais que possa ter, pois acredita que são ‘dificuldades transitórias’, produtos da má sorte ou do azar de terceiros.

Alguém assim não precisa envolver-se em metas realistas de longo prazo e, quando estabelece um objetivo, logo se vê que não tem as qualidades necessárias para alcançá-lo, nem sabe, na verdade, que é preciso fazer algo. Ele de fato acredita que suas habilidades lhe permitirão conseguir qualquer coisa.” (pág. 38)

“Mentir, enganar e manipular são talentos naturais para o psicopata. Quando é demonstrado o seu embuste, não se embaraça; simplesmente muda a sua história ou distorce os fatos para que se encaixem de novo.” (pág. 41)

“A convicção com a qual o psicopata conta a sua história vem acompanhada da crença de que o mundo se encontra dividido em dois grupos: os que ganham e os que perdem, de tal modo que lhe parece um absurdo não se aproveitar das fraquezas alheias.” (pág. 41)

“Os psicopatas parecem possuir uma incapacidade flagrante para sentir de modo profundo a categoria completa das emoções humanas. Às vezes, ao lado de uma aparência fria e distante, manifestam episódios dramáticos de afetividade, que nada mais são que pequenas exibições de falsa emotividade.” (pág. 42)

“Por que, então — podemos perguntar —, uma pessoa assim se casa, por que decide ter uma família? As razões variam, evidentemente, mas em geral a resposta é que, quando decidiu casar-se ou ter filhos, naquele momento era uma escolha que servia a seus fins imediatos e acerca da qual não adquiriu nenhum tipo de responsabilidade.” (pág. 47)

“Na realidade, os psicopatas usam metáforas, já que, em seu comportamento enganoso e manipulador, a linguagem florida e figurativa joga uma parte importante.” (pág. 71)

“A conclusão (...) é uma população que alberga, cada vez mais, jovens transformados em adultos sem um claro código de valores, que assumem o olhar cínico e desconfiado de uma sociedade em que o sucesso material talvez seja o único bem seguro e tangível.” (pág. 83)

“O ser humano está cada vez mais isolado, mais sozinho, apesar de poder se comunicar quase instantaneamente com qualquer parte do mundo. Caso aprenda a viver sem necessitar dos outros, aprenderá a não se preocupar com os outros, um traço básico na personalidade psicopática.” (pág. 85)

“De fato, o psicopata está livre das alucinações e dos delírios que constituem os sintomas mais espetaculares da esquizofrenia. Sua aparente normalidade, sua ‘máscara de sanidade’, torna-o mais difícil de ser reconhecido e, logicamente, mais perigoso.” (pág. 99)

“É inquestionável a habilidade que têm os psicopatas de se rodear de pessoas sem escrúpulos, que lhes facilitam realizar suas ambições.” (pág. 102) “A característica do psicopata é não demonstrar remorso algum, nem vergonha, quando elabora uma situação que ao resto dos mortais causaria espanto.” (pág. 117).



quarta-feira, 17 de junho de 2009

P.S .


Um homem sábio pode se passar por idiota, mas um idiota que tenta se passar por sábio, fica ainda mais idiota.

Não tente bancar o esperto, porque se não for verdade a máscara cairá e com ela, ruirá também sua dignidade. Um dia as máscaras sempre caem.

Sejamos nós mesmos, sempre.

Como somos mesmo, estúpidos ou sábios, DELICADOS OU GROSSEIROS, sinceros ou mentirosos, puros ou sujos, psicopatas ou normais.

No fundo, é tudo uma questão de auto-avaliação.

But please, não banque o intelectual numa livraria de quadrinhos bebendo coca zero com seus óculos de grau, vomitando sobre nosso mísero intelecto fora de moda palavras insossas e decoradas de um AURÉLIO qualquer. Sei que pareço presa fácil, RS, pura ilusão, os percalços da vida me fizeram enxergar além!!!

Então não se engane!

Bancar o inteligente hoje em dia é mais fácil que TIRAR DOCE DE CRIANÇA INOCENTE E INDEFESA. Dá até pra tentar calar com uma caixa de bombons ou até um belo brinquedo colorido...pensa viu??!!



terça-feira, 9 de junho de 2009

Esse texto é eterno...


Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregue sua alegria, sua paz, sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém.

Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.

A razão da sua vida é você mesmo.

A sua paz interior é a sua meta de vida.

Quando sentir um vazio na alma, quando acreditar que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, remeta seu pensamento para os seus desejos mais íntimos e busque a divindade que existe em você.

Pare de colocar sua felicidade cada dia mais distante de você.

Não coloque objetivos longe demais de suas mãos, abrace os que estão ao seu alcance hoje.

Se anda desesperado por problemas financeiros, amorosos ou de relacionamentos familiares, busque em seu interior a resposta... Você é reflexo do que pensa diariamente.

Com um sorriso no rosto as pessoas terão as melhores impressões de você

e você estará afirmando para você mesmo, que está "pronto"para ser feliz.

Trabalhe, trabalhe muito a seu favor.

Pare de esperar a felicidade sem esforços.

Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda.

Critique menos, trabalhe mais.

E não se esqueça nunca de agradecer.

Agradeça tudo que está em sua vida nesse momento, inclusive a dor .

Nossa compreensão do universo ainda é muito pequena para julgar o que quer que seja na nossa vida.

Por fim, acredite que não estaremos sozinhos em nossas caminhadas um instante sequer, se nossos passos forem dados em busca de justiça e igualdade.

P.S: Aristóteles escreveu no ano 360 a.C.
Mas ele é eterno
.
Me identifiquei muito com esse texto, talvez mais no passado do que agora. A pessoa que me mandou talvez quisesse me dizer algo, mas acredito que pra ela esse texto também tenha grande significado e seja de grande valia. Gosto de dizer sempre que só atraímos aquilo que queremos, que pensamos e o que merecemos naquele momento da nossa vida!!!



sexta-feira, 5 de junho de 2009

Pense nisso...


Mantenho-me armada e na defensiva, afinal o mundo é mal, as pessoas são cruéis e no menor vacilo alguém nos puxa o tapete. Entretanto, não dá para ficar o tempo todo esperando um golpe baixo. Em algum momento, a gente precisa confiar em alguém, em algum momento, a gente precisa baixar a guarda...
Talvez em algum momento, talvez algum dia!


Minha alma é livre.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Meu bem querer...




Amo você com um amor tão imenso que tudo que digo ou penso são versos inexpressivos...Amo você com um carinho tão puro que quanto mais eu procuro mais dispenso adjetivos...Amo você de um jeito tão diferente que nada me vem à mente com força pra proclamar...Amo você com um tão grande desvelo que não posso descrevê-lo por mais que tente expressar...Amo vocêor de mãe pra filha que não aprendi na cartilha que ganhei com a experiência...Amo você com um gostar auto-didata que vou carregar bem grata pela trilha da existência ...Amo você por toda a vida tendo a certeza tão bela de ficar no pensamento...Amo você e estaremos sempre unidas pois o que sela é o sentimento!Amo você e hoje o meu calendário marca o seu aniversário com um afeto mais forte...Amo você por estar sempre ao meu lado, por ser meu anjo adorado meu relicário do amor!