Follow by Email

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Paixão



A paixão aumenta a percepção, é uma emoção com dimensão patológica.
Para ela as coisas ficaram mais coloridas, vivas.
Depois de tê-lo conhecido sente mais vontade de sorrir, de viver, de se feliz.
Sente-se amada, desejada e protegida.
E se antes se assemelhava a uma folha seca, jogada no chão, hoje seu sorriso reflete como o sol e sua felicidade ofusca a visão de toda “essa platéia”.
Ela rejuvenesce quando está com ele, e isso, ahh, todos veem.
O amor que sente hoje é decorrente dessa paixão, esse amor que não admite nem passado, nem futuro.
É um amor verdadeiro, que a faz ver-se espelhada nele.
E quando surgem atritos, mesmo os mais intensos, ai, ai ...
Aquela garota impetuosa, tempestiva e impulsiva transforma-se numa menina boazinha, comportada e paciente, uma paciência domesticada pela paixão que sente, pelo amor que tem por ele.
E tudo permanece como sempre, porque esse amor é assim, forte como uma rocha.
Um amor baseado no respeito, na lealdade e cumplicidade.
Ela não precisa dizer, basta olhar que ele entende e percebe a dimensão do que os une.
São tão diferentes.
Ela silenciosa, expressiva e séria.
Ele cativante, extrovertido , brincalhão, adora conversar mas observa tudo que se passa ao redor. Não há quem não se apaixone.
E os dois juntos transformam-se em algo que qualquer um desejaria ter.
E esse amor criou raízes.
Raízes tão profundas, tal qual as de um girassol.
Jaqueline Oliveira.

Um comentário: